Como se saúdam os santos?

Ora, o próprio Senhor da paz vos dê paz sempre e de toda maneira. O Senhor seja com todos vós.
Esta saudação é de próprio punho, de Paulo, o que é o sinal em cada epístola; assim escrevo.
A graça de nosso Senhor Jesus Cristo seja com todos vós. II Tessalonicenses 3: 16-18

“Graça e Paz” era a identificação e saudação de Paulo para com os irmãos em Cristo.

Na humanidade, desde tempos remotos, existiu a necessidade de identificação entre e nos grupos sociais. Vestimentas, aparências, gestos, sinais, tatuagens e as saudações eram usadas nesse intuito. O objetivo deste estudo é analisar biblicamente e historicamente as saudações entre os cristãos.

Para entendermos melhor, conceituaremos saudação como um conjunto de palavras, gestos ou procedimentos usados para que uma pessoa se identifique como participante de um determinado grupo.
Tomamos como exemplos as saudações militares: continência, posição de sentido, etc. até os nazistas com sua posição característica com os braços estendidos, as sociedades secretas com seus códigos secretos de identificação e até mesmo um aperto de mão estilizado pode identificar a pessoa como integrante de determinado grupo.

Saudação dos cristãos primitivos

No meio cristão também existiam esses símbolos identificatórios, o mais pitoresco, segundo o nosso ponto de vista, seria o do Peixe.
Essa saudação consistia em que um cristão desenharia um arco no solo, sendo que uma segunda pessoa desenharia um segundo arco sobre o primeiro, formando assim o desenho estilizado de um peixe, caracterizando que os dois eram cristãos, coisa muito perigosa no período, por isso o extremo zelo na identificação.

O mais famoso acróstico da Antigüidade e de toda a História, criado pelos primitivos cristãos. Tomando as letras iniciais da frase grega Iesous Christós, Theou hyiós, Soter (Jesus Cristo, Filho de Deus, Salvador), que era escrita com uma palavra abaixo da outra, formou-se o acróstico ichthus (peixe)..

História da saudação bíblica.

Na antiguidade os ânimos eram muito guerreiros, com cidades fortificadas, guerras constantes e segurança zero.
Desta forma era imprescindível a identificação da pessoa ou grupo que estava vindo, se vinha em paz ou não. Bandeiras, vestimentas e insígnias começaram a serem usadas. Neste clima de insegurança e guerras a saudação Shalon (Paz) passou a ser característica do povo israelense. A paz era o maior desejo do povo nesses tempos de insegurança. Não temos registro bíblico ou histórico desta circunstância, apenas cogitações. O princípio correto de saudação entre os israelitas foi dado por Deus em Números 6: 22 - 27.

Disse mais o Senhor a Moisés:
Fala a Arão, e a seus filhos, dizendo: Assim abençoareis os filhos de Israel; dir-lhes-eis:
O Senhor te abençoe e te guarde; o Senhor faça resplandecer o seu rosto sobre ti, e tenha misericórdia de ti; o Senhor levante sobre ti o seu rosto, e te dê a paz.
Assim porão o meu nome sobre os filhos de Israel, e eu os abençoarei.

Como todo procedimento religioso, logo ele ganhou padrões como a que distancia deveria um saudar o outro, a posição, a recíproca, etc. segundo relato de tradições uma saudação judaica, bem feita, poderia levar até meia hora.
Provavelmente foi este o motivo para Jesus ter ordenado aos 70 comissionados para não saudar ninguém pelo caminho, devido a urgência da missão.

Não leveis bolsa, nem alforge, nem alparcas; e a ninguém saudeis pelo caminho. Lucas 10: 4.

Continuando a orientação, Jesus demonstra que a saudação deve ser direta:

Em qualquer casa em que entrardes, dizei primeiro: Paz seja com esta casa.
E se ali houver um filho da paz, repousará sobre ele a vossa paz; e se não, voltará para vós. Lucas 10: 5-6

O princípio bíblico é que a saudação seja uma benção proclamada sobre a outra pessoa, reciprocamente, isso leva a entender o porque do “Shalom” modernamente se equivaler ao Bom Dia, Boa tarde, Boa Noite.

Varias saudações.

Com base da saudação se uma benção proclamada, os cristãos sempre abençoavam os seus pares com o maior desejo ou consolo da época.
Em tempos de perseguição a saudação mais usada era Maranata (O Senhor vem!) I Coríntios 16:22 e Apocalipse 22: 20.

A graça e a paz, marca de Paulo para uma pessoa que não merecia a salvação a graça e a paz com Deus é o maior desejo. I Coríntios 1:3 e em varias outras cartas de Paulo.

A paz continuou sendo a saudação mais popular e com o passar do tempo foi acrescentado paz e prosperidade. Porém o acréscimo dado foi o do Apostolo João com misericórdia.
Graça, misericórdia, paz, da parte de Deus Pai e da parte de Jesus Cristo, o Filho do Pai, serão conosco em verdade e amor. 2º Carta de João 1: 3

Beijo Santo – Está é uma saudação muito usada no mundo oriental, no nosso caso Cristão Ocidental, não temos esta pratica pela cultura estereotipada, porém Jesus chegou a repreender um religioso que não teve esta pratica, denotando falta de hospitalidade de quem o recebia (Lucas 7:45).
Saudai-vos uns aos outros com ósculo santo. Todos os santos vos saúdam. II Coríntios 13:12 (também Romanos 16:16, I Coríntios 16:20, I Tessalonicenses 5:26 e I Pedro 5:14)

Conclusão

E se ali houver um filho da paz, repousará sobre ele a vossa paz; e se não, voltará para vós. Lucas 10: 6

A saudação cristã é uma benção, uma confraternização entre irmãos, como tal não deve seguir regras pré-estabelecidas, deve fluir naturalmente. Se todos somos irmãos do mesmo Pai Celestial, devemos agir como tal: Paz de Deus, Paz do Senhor, Maranata, Bom dia, Graça e Paz, todas são saudações bem vindas. Somente devemos ter cuidado com os que trazem falsas doutrinas para o meio do povo de Deus.

Se alguém vem ter convosco, e não traz este ensino, não o recebais em casa, nem tampouco o saudeis.
Porque quem o saúda participa de suas más obras. II Carta de João 1: 10-11

Por Rubens Aguiar
Comente este estudo
Leia mais materias sobre fé