Lobos Devoradores
Guardai-vos dos falsos profetas, que vêm a vós disfarçados em ovelhas, mas interiormente são lobos devoradores. Mateus 7:15.

Jesus mandou tomarmos cuidado com os falsos profetas, porém o que vemos em nossos dias é que muitos falsos profetas têm se levantado, e assolado a igreja de Cristo. Nós podemos ter certeza disso pelo grande número de divisões que a igreja vem sofrendo. Esse é um dos maus frutos pelo qual podemos conhecer os lobos devoradores, por qualquer motivo a igreja se divide. Porém a divisão não é o desejo de Deus para a igreja, mas justamente o contrário.
Paulo também adverte sobre esses lobos devoradores.
Cuidai pois de vós mesmos e de todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu bispos, para apascentardes a igreja de Deus, que ele adquiriu com seu próprio sangue.
Eu sei que depois da minha partida entrarão no meio de vós lobos cruéis que não pouparão rebanho, e que dentre vós mesmos se levantarão homens, falando coisas perversas para atrair os discípulos após si. Atos 20:28-30

Perceba que Paulo ratifica a mensagem de Jesus e acrescenta que além de termos de cuidar de nós mesmos, esses lobos também já estão no nosso meio. Então vejamos como os lobos devoradores agem.

Primeiro passo - A estratégia de Absalão.

Os falsos profetas, os “lobos devoradores” se disfarçam de ovelhas, se dizem amigas e santas, porém essa é só uma estratégia maligna para ganhar a confiança, veja o exemplo de Absalão, filho rebelde de Davi.
Dizia mais Absalão: Ah, quem me dera ser constituído juiz na terra! para que viesse ter comigo todo homem que tivesse demanda ou questão, e eu lhe faria justiça.
Sucedia também que, quando alguém se chegava a ele para lhe fazer reverência, ele estendia a mão e, pegando nele o beijava.
Assim fazia Absalão a todo o Israel que vinha ao rei para juízo; desse modo Absalão furtava o coração dos homens de Israel. II Samuel 15:4-6

Absalão queria tomar o reino de seu pai Davi, para isso ele resolve interceptar as pessoas que iam ao rei dizendo que o rei não poderia atendê-las, sugerindo que se ele fosse o rei/juiz a coisa seria diferente. Perceba que essa estratégia é usada até hoje, até no meio político: “se eu estiver no governo as coisas melhoram”, todos dizem isso. Essa é a primeira tentativa dos falsos profetas eles conquistam o coração das ovelhas através de engodos de bondade. E o afeto gerado no coração da ovelha cega o entendimento, veja o que um filósofo diz a respeito.

A compreensão humana não é um exame desinteressado, mas recebe infusões da vontade e dos afetos; disso se originam ciências que podem ser chamadas “ciências conforme a nossa vontade”. Pois um homem acredita mais facilmente no que gostaria que fosse verdade. Assim, ele rejeita:
- Coisas difíceis pela impaciência de pesquisar;
- Coisas sensatas, porque diminuem a esperança;
- As coisas mais profundas da natureza, por superstição;
- A luz da experiência, por arrogância e orgulho;
- Coisas que não são comumente aceitas, por deferência à opinião do povo.
Em suma, inúmeras são as maneiras, e às vezes imperceptíveis, pelas quais os afetos colorem e contaminam o entendimento.

Francis Bacon.

Foi isso que aconteceu com o povo de Israel e acontece com as igrejas hoje, o povo dá ouvido a enganos de “lobos” e depois não atentam para a Palavra, por amor ao lobo devorador.

Segundo passo - Criar confusão.

E tende por salvação a longanimidade de nosso Senhor; como também o nosso amado irmão Paulo vos escreveu, segundo a sabedoria que lhe foi dada;como faz também em todas as suas epístolas, nelas falando acerca destas coisas, mas quais há pontos difíceis de entender, que os indoutos e inconstantes torcem, como o fazem também com as outras Escrituras, para sua própria perdição.
Vós, portanto, amados, sabendo isto de antemão, guardai-vos de que pelo engano dos homens perversos sejais juntamente arrebatados, e descaiais da vossa firmeza; antes crescei na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. A ele seja dada a glória, assim agora, como até o dia da eternidade. II Pedro 3:15-18

O apóstolo Pedro nos versículos acima esta falando do segundo passo desses “lobos”, torcer a Bíblia ou buscar doutrinas contrarias a crida pela igreja que ele quer devorar. Pedro coloca esses “lobos” em duas categorias:
- Os indoutos – São os ignorantes, eles não sabem, ou sabem pouco da Bíblia, porém acreditam que sabem e que estão com a verdade, popularmente nós chamamos essas pessoas de “cabeça dura”. Com esses tipos de pessoa, as vezes não adianta nem argumentar, eles se apegam a sua crença como se fosse a “tabua de salvação”. Com essas pessoas vale ressaltar que a Bíblia diz que a letra mata. (II Corintios 3:6). Porém a burrice mata ainda mais.
- Os inconstantes – São as pessoas de má fé realmente, elas torcem as Escrituras de acordo com a sua vontade, se elas acham certo alguma coisa, enganam para que acreditem naquilo e desacreditem em outras coisas.
O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento. Porquanto rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim; visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus filhos. Oséias 4:6
Infelizmente muitos indoutos, preguiçosos e ignorantes pregam que a “letra mata”, que não devemos ser sábios, para sermos como crianças que acreditam em tudo. A Bíblia nunca disse isso, muito pelo contrário, veja o exemplo do versículo acima de Oséias, esses pregadores/sacerdotes devem inclusive serem descartados, pois estão pregando uma heresia sem tamanho no nosso meio, e prejudicando o rebanho de Deus. É para ser criança na inocência e adulto no entendimento, e esses ignorantes pregam quase que o contrario.

Terceiro passo – Rebelião de Core

E ajuntando-se contra Moisés e contra Arão, disseram-lhes: Demais é o que vos arrogais a vós, visto que toda a congregação é santa, todos eles são santos, e o Senhor está no meio deles; por que, pois, vos elevais sobre a assembléia do Senhor? Números 16:3 leia o capitulo todo para entender melhor esta rebelião.
Desculpe os irmãos que estão em igrejas que romperam com suas matrizes, mas a divisão não é de Deus! Digo mais, se o crente não está satisfeito com sua igreja pode até ir para outra que pregue Cristo verdadeiramente, isso não é pecado, porém o levar membros consigo é sedição e rebeldia, a principal característica dos “lobos”, veja o exemplo de Core que se dizia santo, tanto quanto Moises, esquecendo-se que é Deus quem escolhe e não o crente que se impõe ao serviço.
É nessa hora que o “lobo” lança seu ataque. Ele se coloca como “santo”, “enviado de Deus” e em pé de igualdade com as autoridades superiores a ele, colocando assim as ovelhas, que já tem amizade com o “lobo” e a igreja que está confusa com as confusões por ele colocadas “em cheque”. Venham comigo para outro pasto! Diz o “lobo”.
Notem, porém, que qualquer confusão colocada no meio da igreja não é motivo para se ir com este “lobo” e fundar outra igreja, pois a multiforme graça de Deus I Pedro 4:10. nós da oportunidade de não sermos rebeldes, bastando para isso ir a outro local onde você se sinta melhor e não incorrer no pecado de Core. Veja:
Se na sua igreja não prega os dons espirituais ou prega e você não concorda – vá para outra que pregue os dons ou não pregue, você não perderá a salvação por ter ou não os dons, porém a sedição é um pecado grave e estar junto dos “lobos” é perigosíssimo. Você pode morrer na fé.
Na hora de decidir entre um e outro, não escolha nenhum dos dois, opte por examinar a Palavra e você verá que: Não abandonando a nossa congregação, como é costume de alguns, antes admoestando-nos uns aos outros; e tanto mais, quanto vedes que se vai aproximando aquele dia. Hebreus 10:25, Isso mesmo, em caso de duvida fique aonde está, espere. E lembre-se confie na Palavra e não em profecias, visões ou ensinos, afinal eles, os “lobos” são falsos profetas e nesse caso, infelizmente as profecias devem ser muito questionadas.

Os frutos pecos e apodrecidos.

Portanto, pelos seus frutos os conhecereis.
Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus.
Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitos milagres?
Então lhes direi claramente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade. Mateus 7: 20-23

Perceba que estes versículos acima e apenas a continuação da advertência de Jesus quanto aos falsos profetas, que são lobos devoradores, perceba também que a evidência de ser falso profeta ou até mesmo a evidencia de um crente verdadeiro são os frutos. Vale ressaltar, evidencias são os frutos, não é o poder, não são os dons (espirituais ou naturais). A evidencia é o fruto.
Esta fala de Jesus e tremenda e terrível, pois ele deixa claro que alguém, ou até mesmo uma igreja pode estar cheia de maravilhas, milagres e etc. e não ser conhecida de Cristo, e não venha pensar que a pessoa estava na graça e depois saiu, por que Cristo e taxativo Nunca vos conheci. E pelo que eu saiba nunca é jamais.
Então olhe nas ações dos lideres, aonde elas vão dar ou deram, veja um exemplo.
- Existe rebeldia contra as lideranças que lhes são superiores, não aceitar autoridade superior é rebeldia. O diabo é rebelde o crente é submisso. Contudo, semelhantemente também estes falsos mestres, sonhando, contaminam a sua carne, rejeitam toda autoridade e blasfemam das dignidades. Judas 1:8
E lembre-se: milagres, profecias, dons espirituais (línguas estranhas, revelações, etc), prodígios, nada disso serve para julgar um crente, o que julga é o fruto. O fruto do espírito você já conhece. Gálatas 5:22-23.

Conclusão

Os “lobos”, falsos profetas estão no nosso meio, sendo usados pelo diabo para fazer com que os crentes não cresçam na fé e até sejam destruídos, pois afinal a responsabilidade é pessoal, e se você quer realmente agradar a Deus deve buscá-lo na Palavra e não dar ouvidos a pessoas que podem enganar, simplesmente por ter uma boa oratória, uma palavra eloqüente. Examine tudo na Palavra faça como os homens da cidade de Beréia que verificaram tudo o que Paulo falou. Ora, estes eram mais nobres do que os de Tessalônica, porque receberam a palavra com toda avidez, examinando diariamente as Escrituras para ver se estas coisas eram assim. De sorte que muitos deles creram, bem como bom número de mulheres gregas de alta posição e não poucos homens. Atos 17:11-12.
Claro que você estuda e lê a Bíblia diariamente para verificar a verdade. E agora ainda mais, contudo vou colocar abaixo, uma pequena lista de coisas que devemos considerar quando ouvimos alguém falar, note que isso vale para todo na vida, tanto para nossa fé, como para política, negócios, namoro etc. Leia e releia com calma. Deus te abençoe.

Segue abaixo um anexo para ajudar em algumas comparações e evitar ser enganado.

Lista para detectar e reconhecer as falácias mais comuns e mais perigosas da lógica e da retórica.
• Ad hominem – expressão latina que significa “ao homem”, é quando atacamos o argumentador e não o argumento (por exemplo: Fulano é tradicional, não tem os dons do Espírito, por isso não precisamos levar a sério suas considerações sobre os dons);
• Argumento de autoridade (por exemplo: O presidente Richard Nixon deve ser reeleito porque ele tem um plano secreto para pôr fim à guerra no Sudeste da Ásia (Vietnã) – mas, como era secreto, o eleitorado não tinha meios de avaliar os méritos do plano; o argumento se reduzia a confiar em Nixon porque ele era o presidente: um erro, como se veio a saber);
• Mensagem que não podem ser confirmadas, nem refutadas (por exemplo, e alguém diz que um anjo veio a ele do Céu e lhe deu uma mensagem, ou a pessoa recebeu uma profecia, ou ainda um mistério de Deus, tais coisas não podem ser confirmadas por que são espirituais, nem desmentidas pelo mesmo motivo, fica então na máxima “acredite se quiser!”, esse é o mesmo principio da vida após a morte, ninguém voltou do além para conversar com os vivos, não há provas consubstancias disso, porém os espíritas e outras religiões crêem nisso de forma cabal. “Acredite se quiser”, porém a Bíblia diz que isso é impossível.).
• Argumento das conseqüências adversas (por exemplo: Deve existir um Deus que confere castigo e recompensa, porque, se não existisse, a sociedade seria muito mais desordenada e perigosa talvez até ingovernável ou, sua vida esta assim porque você não busca a Deus e é infiel, esta é a argumentação doa amigos de Jó);
• Apelo à ignorância – a afirmação de que qualquer coisa que não provou ser falsa deve ser verdade, e vice-versa (por exemplo: Jesus não nos mandou construir templos, nem colocar nomes em igreja, logo não devemos construir templos e deixar as igrejas sem nome. Nota. Esta doutrina existe). Essa impaciência com a ambiguidade pode ser criticada pela expressão: a ausência de evidência não é evidência da ausência;
• Alegação especial, frequentemente para salvar uma proposição em profunda dificuldade teórica (por exemplo: Como um Deus misericordioso pode condenar as gerações futuras a um tormento interminável, só porque, contra as suas ordens, uma mulher induziu um homem a comer uma maçã? Alegação especial: Você não compreende a doutrina sutil do livre-arbítrio. Ou quando se faz alguma coisa que não se sabe o porquê, alega-se que Deus é “mistério”);
• Petição de princípio, também chamada de supor a resposta (por exemplo: Quando buscamos os dons o joio sai da igreja. Mas o joio realmente sai realmente? )
• Seleção das observações, também chamada de enumeração das circunstâncias favoráveis, ou, contar os acertos e esquecer os fracassos (por exemplo: Nós temos aqui tantas pessoas que mudaram a sua vida, mas se cala sobre as outras tantas que foram destruídas e estão machucadas neste meio);
• Non sequitur – expressão latina que significa “não se segue” (por exemplo: Nós venceremos porque Deus é conosco. Mas quase todos as nações querem que isso seja verdade; a formulação alemã era “Gott mit uns” tradução “Deus Conosco”). Com frequência, os que caem na falácia non sequitur deixaram simplesmente de reconhecer as possibilidades alternativas;
• Post hoc, ergo propter hoc – expressão latina que significa “aconteceu após um fato, logo foi por ele causado” (por exemplo, Antes de as mulheres terem o direito de votar, não havia armas nucleares);
• Pergunta sem sentido (por exemplo: O que acontece quando uma força irresistível encontra um objeto imóvel? Mas se existe uma força irresistível, não pode haver objetos imóveis, e vice-versa);
• Confusão de correlação e causa (por exemplo: Os estudiosos e universitários tem se desviado muito da fé; portanto, a educação leva a pessoa a apostasia.)
• Evidência suprimida, ou meia verdade (por exemplo: Uma “profecia” espantosamente exata e muito citada do atentado contra o presidente Reagan é apresentada na televisão; mas – detalhe importante – foi gravada antes ou depois do evento? );
• Palavras equívocas (por exemplo, A Bíblia diz que há um só mediador, Cristo I Timóteo 2:5, porém dizem alguns que pode haver uma mediadora também. Os eufemismos entram nesta categoria também; omitir, e não dizer a verdade completa. Uma arte importante dos enganadores é encontrar novos nomes para instituições que com seus nomes antigos se tornaram odiosas e comuns para o público).

Por Rubens Silva Aguiar
Editor@jacuipenoticias.com
Voltar a página inicial
Comentários:

ENGANAR AS PESSOAS EM NOME DE JESUS: É com tristeza que vejo muitos pregadores desonestos, enganando as pessoas em nome de JESUS. É muita gente safada, visando apenas dinheiro, mais dinheiro, falando o nome de JESUS. Você para alcançar ou ser atendido por DEUS, não precisa pagar ou dar dinheiro pra ninguem, é só fazer o pedido com fé. Agradeça quando for atendido. Podendo, ajude sim.É importante participar e ajudar as pessoas. Existem muitas instituíções religiosas sérias, procure obter informações,antes de se tornar membro de alguma delas.

Monsueto Araujo de Castro